gestão financeiraPara que servem os relatórios financeiros ?

fevereiro 10, 20220

Os relatórios financeiros desenham diagnósticos, orientando a empresa a melhorar seus processos internos. Concomitantemente, esses documentos burocráticos podem abrir portas junto a investidores, fundos e instituições financeiras.

Afinal, o que comprova o potencial de retorno da sua brilhante ideia ou de uma empresa que ainda engatinha no mercado? Sim, são os números!

Além disso, quanto mais inovador e volumoso for um negócio, mais a gestão financeira terá de atingir a excelência e se reinventar.

Neste post, você vai entender por que os relatórios financeiros servem muito além de apenas cumprir com as obrigações contábeis e fiscais.

Quer saber mais sobre o tema? Então confira este post!

O que são os relatórios financeiros?

Os relatórios financeiros são métodos matemáticos e analíticos para retratar, em certo intervalo de tempo, o desempenho de um negócio. Além disso, eles são verdadeiros esboços da performance e permitem observações em diversos ângulos e recortes.

Mas como os relatórios são produzidos? Por meio de métricas e indicadores. Desse modo, podemos dizer que as métricas são os resultados específicos do negócio: ticket médio, volume de vendas, custos etc.

Por sua vez, os indicadores funcionam como parâmetro para a gestão estratégica. Por exemplo: para calcular o indicador de lucratividade, é preciso monitorar as métricas de receitas e de despesas.

Como esses pareceres dão suporte à gestão empresarial? 

Como já te contamos, os relatórios financeiros são praticamente um termômetro da viabilidade de uma organização. Porém, além de retratar as condições econômicas no passado, presente e provável futuro, esses documentos ajudam nos momentos mais difíceis. Veja como a seguir:

 Noção da capacidade de novos investimentos

Os relatórios financeiros ajudam a identificar os riscos com antecipação. Ao menor sinal de queda nas vendas, por exemplo, eles detectam a movimentação negativa.

Assim, a companhia vai ganhando mais fôlego para crescer sem grandes ameaças. Afinal, as análises econômicas mostrarão com exatidão o tamanho de cada passo.

Redução de desperdícios

Com as análises financeiras, todo o dinheiro que sai da empresa é monitorado. Assim, o gestor consegue rastrear o percurso e o destino final de suas despesas.

Dessa forma, os custos supérfluos ficam mais visíveis, algo que facilita os planos para eliminá-los ou reduzi-los.

Identificação de gargalos no fluxo de caixa

Com o acompanhamento das movimentações monetárias, a empresa sabe qual é o produto com menor saída, com pouca margem de lucro ou também o índice de inadimplência.

O caixa é um verdadeiro espelho do negócio, mas é preciso emitir relatórios financeiros sobre ele para compreender seu comportamento. Mas de que isso ajuda no dia a dia?

Um exemplo prático: esses documentos podem te apontar quais são os melhores dias do mês em termos de saldo no fluxo de caixa. Com essa informação, você organiza os pagamentos de modo mais favorável à sua realidade.

Como os relatórios financeiros ajudam as startups?

Promover startups com a atual tendência de avanço tecnológico é algo fascinante, mas também trabalhoso. Quando se fala em inovação, muitas vezes estamos também nos referindo emoções como a capacidade de ousar e a coragem de mergulhar em mares nunca antes navegados.

Porém, grandes sonhos exigem grandes responsabilidades: gerenciais, de atendimento ao cliente, de cumprimento à legislação tributária e fiscal etc.

Ou seja, por mais empolgante e promissora que seja a sua ideia, ela vai exigir conciliação bancária, registro de patrimônio, monitoramento de KPIs e por aí vai.

Diante disso, não há como negar: os relatórios financeiros são essenciais para qualquer negócio. Não é diferente com as startups! Veja algumas das vantagens desses documentos para este nicho:

Faturamento

Nada melhor do que um faturamento interessante para viabilizar a atração de investidores. Nesse sentido, com um relatório transparente e preferencialmente auditado, é muito mais simples chamar a atenção no mercado financeiro e de investimentos.

Sabe aquele instante decisivo em que você precisa achar um meio para partir para a próxima rodada de negócios? Esse tipo de relatório será como uma mãe nessas situações.

Balanço patrimonial

Outro documento importante entre os relatórios financeiros para startups é o balanço patrimonial. Esse cálculo está sempre na mira de acionistas, investidores e credores. Trata-se de um Raio-X dos bens acumulados em certo período, mas também das dívidas e compromissos financeiros e contratuais.

Dessa forma, ele lista ativos e passivos, mas também exibe as oscilações do capital. Para quem quer entender como conseguir investimentos para startups, saber um pouco sobre os relatórios mais interessantes para o mercado será útil. Assim, esse é um tipo de análise para nunca perder de vista.

Fluxo de caixa

Os relatórios financeiros que saem do fluxo de caixa são excelentes fontes de dados sobre a iniciativa empreendedora em questão. Afinal, em torno dele, giram KPIs para startups cruciais. Por exemplo: receitas recorrentes, custos, ticket médio, total de vendas, entre outros dados semelhantes.

Com esses estudos, é possível prever as entradas de recursos financeiros e se programar melhor. Não é raro encontrar startups com problemas de caixa em situações críticas. Mas isso pode ser evitado com relatórios financeiros eficientes.

O que considerar ao interpretar tais informativos?

Existe um consenso no mercado sobre a importância dos relatórios financeiros. Porém, diante de agendas atribuladas e da complexidade dessas contas, será que você realmente aproveita esses cálculos para alavancar o negócio?

Como extrair algo valioso e prático de gráficos, números, índices e comparações? Para ajudar você com isso, preparamos um resumo a seguir com os tipos de relatórios financeiros que mais impactam a gestão estratégica. Observe:

  • Balanço patrimonial: soma e classifica todo o capital da empresa, assim como suas dívidas, bens e compromissos;
  • Resultados: a diferença entre o valor que você recebe por produtos e serviços e o que você aplica para executá-los. Aliás, para as empresas de capital aberto, é obrigatório divulgar as DREs (Demonstração do Resultado do Exercício), isto é, torna-las públicas. Porém, todas as empresas — com exceção do microempreendedor individual — devem produzir esse relatório. A DRE é uma síntese das movimentações financeiras e vai mostrar aquilo que mais interessa aos partners: se a empresa está mesmo lucrando;
  • Liquidez: mede o nível de condições para que um ativo seja convertido em dinheiro sem perdas expressivas em relação a seu valor de mercado;
  • Custos operacionais: despesas para rodar o negócio: energia elétrica, luz, gás, funcionários, insumos, manutenção de equipamentos etc.;
  • Fluxo de caixa: mostra entradas e saídas, mas classifica receitas e despesas. Assim, é possível saber qual mercadoria tem a melhor margem de lucro, por exemplo;
  • Conciliação bancária: faz várias comparações entre os registros contábeis internos e os extratos bancários. Desse modo, se houver desvios ou fatos estranhos, será viável perceber mais rapidamente.

 Por que fazer relatórios financeiros com apoio tecnológico?

A gestão financeira não ficaria de fora de toda transformação digital que está em curso no mundo. Por isso, contar com ajuda tecnológica de boa qualidade é essencial. Agora, quando falamos em produtos Microsoft, o que a empresa ganha mesmo é um tremendo diferencial competitivo.

Nesse cenário, o Microsoft Dynamics 365 Finance & Operations eleva o setor financeiro para outro patamar. Com essa ferramenta, é possível criar, implementar e visualizar os demonstrativos financeiros de modo rápido e fácil. Veja a seguir algumas de suas vantagens:

  • informações detalhadas para a tomada de decisão: a ferramenta oferece recursos de Power BI, Inteligência Artificial e aprendizagem preditiva;
  • integração de dados e processos: permite reunir em único hub centralizado aplicativos e sistemas de atendimento ao cliente, marketing, finanças, operacional e muito mais;
  • produção automática e integrada de relatórios financeiros: realiza cruzamento de dados entre diferentes sistemas e aplicações. Desse modo, é viável elaborar relatórios em poucos cliques;
  • economia de investimentos em TI: pode contratar em pacotes de assinatura mensal, dispensando investimentos iniciais expressivos;
  • escalabilidade: oferece estrutura flexível e escalonável;
  • segurança: o software fica baseado em nuvem na plataforma Azure, uma das mais consagradas do mercado. Também pode ser instalado localmente, caso sua empresa prefira/necessite.

Portanto, não importam o porte, nem o segmento, nem mesmo a localização da empresa. Um negócio de sucesso sempre dependerá de relatórios financeiros bem elaborados e abastecidos.

No caso de startups que almejam resultados exorbitantes, é preciso se preparar para fazer uma gestão financeira à altura. Nessa hora, a tecnologia e a expertise no tema serão os fatores determinantes.

E você? Gostou do nosso artigo? Que tal saber um pouco mais sobre gestão corporativa e inovações? É simples: leia também nosso post sobre o ERP na nuvem!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

https://xpta.com.br/wp-content/uploads/2021/07/logo.white_.footer.w245x40px.png
Rua Geraldo Flausino Gomes, 42, conjunto 62, São Paulo
11 2165 6970

Follow us:

ENTRE EM CONTATO

A XPTA é uma consultoria brasileira, parceira Microsoft, especializada na implementação de soluções de gestão empresarial.

Copyright © XPTA Consultoria 2021