O IMPACTO DO IoT E REALIDADE AUMENTADA NA JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

O IMPACTO DO IoT E REALIDADE AUMENTADA NA JORNADA DE TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Muito se fala, hoje em dia, sobre Indústria 4.0. De fato, é indiscutível a importância de temas
como a Internet das Coisas (IoT) e a Realidade Aumentada (AR) na jornada de Transformação
Digital das empresas – um processo revolucionário, irreversível, e já iniciado.
Mas, e a sua empresa? Já deu os primeiros passos? Sabe estimar o ganho que vai obter a partir
do uso do IoT, bem como todas as possíveis aplicações de negócio?
Nesta série de webinars abordaremos a Internet das Coisas aplicada à prática, com cenários práticos e casos
reais, prontos para uso.

Episódio 1 – IoT e Realidade Aumentada: Uma Visão Geral
Apresentadores: Matheus Terra, Technical Sales Director LATAM, PTC
Marcelo Burattini, Gerente de Produto, XPTA

INSCREVA-SE: https://lnkd.in/dEucRwc

 

Microsoft Dynamics AX – A XPTA realizou mais um projeto de Migração de ERP com êxito! – XPTA e Frooty

A XPTA realizou mais um projeto de Migração de ERP com êxito!

 

A atualização de versão do Microsoft Dynamics AX foi realizado em tempo recorde, atendendo todas as necessidades e melhorando alguns processos existentes.

Agradecemos a confiança da Frooty na nossa equipe e a oportunidade de participar desse desafio como parceiro.

Parabéns a todos os envolvidos por mais esse case de sucesso.

Faça parte também dessa transformação digital junto com a XPTA.

Entre em contato aqui e saiba como.

Você sabe o que é IaaS, PaaS e SaaS? Entenda como se fosse um café…

Explicamos os modelos de nuvem usando toda a inspiração que só um cafezinho traz

 

Você já deve ter ouvido falar que a Transformação Digital está mudando os processos e a maneira com que as empresas trabalham, certo? Uma das tecnologias que protagonizam essa mudança é a nuvem, que oferece uma série de serviços para que as companhias trabalhem com segurançamobilidade e maior produtividadePara as pequenas e médias empresas, por exemplo, a tecnologia vem ganhando notoriedade por conta da flexibilidade e por ser opção de redução de custos operacionais.

Mas essa história de nuvem ainda é muito confusa para você? Vamos usar um item do dia a dia para ficar mais fácil. O café, por exemplo! Quando sua empresa não utiliza nenhum serviço de nuvem, mas ainda assim tem uma infraestrutura de servidores, diversos computadores, sistemas operacionais, softwares e muitas vezes até um time de TI, é como se você tivesse que realizar o processo completo por conta própria: o plantio, a colheita e todos os passos até a xícara chegar na mesa.

A utilização da nuvem te ajuda e te possibilita selecionar apenas algumas etapas desse processo para sua empresa ser a responsável. Quer conhecer cada um dos modelos? Pegue seu café, puxe a cadeira e vamos em frente!

IaaS: A escolha do grão e do plantio

Nessa primeira etapa, a nuvem te oferece a infraestrutura como um serviço (Infrastructure as a Service). Esqueça aquelas salas com ar refrigerado e centenas de maquinários e servidores. Nesse modelo, você pode ter toda essa infraestrutura armazenada na nuvem para mover arquivos, criar aplicações, desenvolver sistemas operacionais e até mesmo hospedar sites.

Aqui você tem liberdade para fazer o plantio e escolher o seu grão preferido antes de produzir o café, enquanto a nuvem te oferece toda a estrutura necessária.

PaaS: Comprando o pó de café ideal 

Se você tem uma startup, por exemplo, e não entende tanto assim de infra de TI, mas sabe muito bem que sua ideia para um novo aplicativo vai fazer sucesso no mercado e já tem um desenvolvedor para criar esse serviço, o PaaS (Plataform as a Service) é ideal para seu negócio. 

No PaaS, a nuvem disponibiliza a plataforma para que seu time desenvolva, hospede e gerencie novas aplicações. Odesenvolvedor não precisa se preocupar o sistema operacional nem suas atualizações, por exemplo, pois esse serviço já será oferecido pela nuvem. Com isso, sua equipe terá maior performance e flexibilidade, sem perder a liberdade de criação.

Portanto, você não consegue mais escolher a quantidade de grãos e o tipo de moagem, mas ainda tem autonomia para comprar o pó de café de sua preferência e decidir se o modo de preparo vai ser com filtro de papel, filtro de pano ou até mesmo com a cafeteira italiana.

SaaS: Um cafezinho, por favor!

Por fim, o software como serviço (Software as a Service) atinge mais o usuário final, para que ele tenha acesso a tudo por meio da Internet, sem precisar fazer downloads nem atualizações. A nuvem disponibiliza o software como serviço para que o cliente utilize tudo já pronto.

Nesse caso, é como se você fosse a uma padaria e pedisse a bebida pronta. Você ainda pode escolher as opções do cardápio, mas consome o produto pronto, ou seja, não controla o tipo de plantio, de grão nem a espessura do pó.

Um exemplo é o Office 365, que nasceu na nuvem e já tem uma infinidade de serviços prontos para você utilizar, sem dor de cabeça.

E o que podemos aprender com essas comparações? Que não há um modelo ideal de nuvem para todo mundo. Cada empresatem sua particularidade e funciona melhor com um tipo diferente de serviço. Mas, em todos os casos, a nuvem trabalha junto com o profissional de TI para facilitar o trabalho da equipe. Assim, no final, todos conseguem se dedicar da melhor forma para alcançar o mesmo objetivo: garantir o melhor café para os clientes.

Que tal conhecer mais sobre nosso serviços? Temos a solução ideal pra você, veja agora mesmo

 

 

Fonte : Microsoft

Prepare-se para as mudanças da NFe 4.0

A Nota Fiscal Mercantil (NFe) vai mudar!  Abaixo as mudanças que irão acontecer com o layout da NFe 3.1 para NFe 4.0.

A NF-e 4.0 é uma atualização diante das necessidades de pequenas alterações constantes que acumulou-se na SEFAZ, com o intuito de diminuir a manutenção nos sistemas das empresas e com isso, de tempos em tempos, demanda-se uma nova versão nacional.

Algumas informações importantes:

Prazo da obrigatoriedade:

  • Ambiente de Homologação: 01 de junho de 2017.
  • Ambiente de Produção: 01 de agosto de 2017.
  • Desativação da versão anterior (NF-e 3.10): 06 de novembro de 2017.

Ponto de atenção:

  • As empresas devem antes de iniciar o projeto preparar o sistema de origem dos dados (ERP) conforme a Nota Técnica NT 2016_002 (anexo) e preparar a massa de dados para validação do novo leiaute.
Consulte hoje a XPTA e entenda quais os desafios para se adequar à nova legislação.
 

O que mudou?

• Grupo B – Identificação da NF-e / Cabeçalho

– Linha B – Identificação da NF-e

Campo indpag: excluído (id: B05)

Campo indpres: criada uma nova opção (id: B25b)

– Linha B14 – NF modelo 1 e modelo 1

Criada uma nova opção: modelo 2 (id: B07)

• Grupo Rastreabilidade de Produto e Rastreabilidade de Produtos Controlados

– Linha K – Detalhamento Específico Medicamento

Criado o campo para o código ANVISA (id: K01a)

• Grupo Combustível

– Linha LA01 – Item / Combustível

Campo para informar os percentuais de mistura do GLP (id: LA03a, b e c)

Campo para informar o código ANP (id: LA03)

• Grupo ICMS

– Linha N – ICMS Normal e ICMS-ST

CST do ICMS = 00, 10, 20, 30, 51 e 60.

CSON 500 (alíquota suportada pelo consumidor final)

CSON do ICMS = 201, 202, 203, 500 ou 900.

– Linha NA01 – ICMS de Partilha

Criado campo de valor da base de cálculo relativa ao FCP nas operações internas ou interestaduais com ST na UF de destino.

• Grupo Total da Nota Fiscal Eletrônica

– Linha W02 – Total da NF-e

Criação do campo de valor total do IPI devolvido, quando ocorrer, através de NF de devolução e do valor do FCP ST (id: W16-10)

• Grupo Informações do Transporte da NF-e

 – Linha X – Transporte da NF-e

Criação do campo Modalidade do Frete (id: X02)

00 – contratação do Frete por conta do Remetente (CIF);

01 – contratação do Frete por conta do Destinatário (FOB);

02 – contratação do Frete por conta de Terceiros;

03 – transporte próprio por conta do remetente;

04 – transporte próprio por conta do destinatário;

09 – sem ocorrência de transporte.

• Grupo Formas de Pagamento / Informações de Pagamento

 – Linha YA01 – Sequência XML
 – Linha YA02 – Criação do campo Forma de Pagamento (id: YA02)
 – Linha YA03 – Criação do campo Valor do Pagamento (id: YA03)
 – Linha YA04 – Criação de novas modalidade de pagamentos por operadora decartões de crédito, tais como: Dinners Club, Elo, Hipercard, Aura, Cabel e outros (id: YA06), além do campo valor do troco na NFC-e (id: YA09)
A nota técnica completa pode ser baixada no portal da SEFAZ.
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/listaConteudo.aspx?tipoConteudo=tW+YMyk/50s=